Usando inteligência artificial, esta empresa sabe que seu carro foi roubado antes de você perceber

Usando inteligência artificial, esta empresa sabe que seu carro foi roubado antes de você perceber

Cada ser humano é único. Essa máxima sobre a excepcionalidade vale para todos os detalhes. Inclusive para como cada um abre a porta do automóvel, dá a partida e sai com seu carro dirigindo. Essa rotina pode parecer fugaz para ser notada por uma pessoa, mas para uma inteligência artificial (IA) isso gera um padrão bastante singular e distinguível. Para Ituran, que fornece monitoramento anti-roubo de veículos, são detalhes suficientes para determinar se quem está no volante é o dono ou um ladrão.

Negociada na Nasdaq, a Ituran Location and Control (ITRN) é uma companhia de tecnologia de segurança liderada por veteranos das Forças de Defesa de Israel, que encontrou no Brasil, não por acaso, o seu maior mercado global. Sua tecnologia inicial foi criada para localizar rapidamente pilotos israelenses cujos caças foram abatidos ou forçados a pousar em ambientes hostis, antes mesmo da popularização do GPS.

Nos carros, o monitoramento atualmente conta com um robusto sistema de telemetria que, para os casos de roubos, leva em conta até 20 parâmetros para determinar se um carro foi levado por um criminoso. Além dos fatores já citados, como o comportamento dentro do veículo, entram na conta a localização geográfica, velocidade de deslocamento e o cruzamento de informações de outros roubos.

“É comum que os ladrões sigam algumas práticas para determinados tipos de veículos. Também há padrões na escolha dos locais de desmonte desses carros. Com o cruzamento dos dados por IA, algumas vezes, descobrimos que o carro foi roubado antes mesmo do dono, e conseguimos localizá-lo antes mesmo das autoridades, que são acionadas depois para recuperar o veículo”, afirma o CEO da Ituran, Amit Louzon.

Em um caso recente, em Osasco, especificamente no bairro Padroeira, seis motos foram encontradas pela Ituran em um apartamento. Um tipo de local que antes não era escolhido, mas que agora entrou na lista de possibilidades graças às informações colhidas pela companhia em seus mais de 35 eventos acionados por dia de possíveis roubos.

IA vira arma em favor das seguradoras

Mas não só contra ladrões que as tecnologias da Ituran fornecem proteção. O CEO da Ituran, Amit Louzon, relata que o brasileiro é criativo em fraudes contra os seguros. “É um mercado que demanda alto investimento tecnológico, pois o crime de fraudes no Brasil é sofisticado. Há casos em que o sujeito aluga a moto, deixa de pagar a parcela mensal e ainda a desmonta para vender as peças”.

Segundo ele, uma parte das receitas hoje também é oriunda da instalação de equipamentos para carros com apólice de seguro, um reflexo do estágio da segurança pública no país. “Com a tecnologia da telemetria, seguradoras podem oferecer uma apólice mais acessível, pois conseguem minimizar o seu risco”, afirma o CEO.

Outra ponta da receita está em uma parceria estratégica com a startup de mobilidade urbana de carsharing e carpooling MobLab, formando uma joint venture voltada à implementação de soluções tecnológicas de mobilidade, a IturanMob.

Com a atual formação de sua operação no país e mais de 700 mil veículos rastreados, a empresa israelense espera crescer 50% no Brasil até 2024.


https://exame.com