transporte-inovador-2024-rede-brasil-inovacao-esg-ia-ntc-logisitica-cnt-comjovem-sest-senat-sp-setcesp-setcergs-fetransul-aldo-rosa-1
rede-rs-cidade-2024-brasil-inovador-rio-grande-sul-aldo-rosa-ceo-reconstrucao-doacoes-resgate-acolhimento-abrigo-municipio-enchente-randoncorp-daniel-instituto-elisabetha-randon
rede-brasil-inovador-2024-inovacao-innovation-trends-aldo-rosa-ceo-palestrante-ecossistema-startup-ia-esg-hub-cni-cna-cnc-universo-totvs-sp-2

SETCERGS alerta para efeitos financeiros no setor de transporte devido a mudanças de legislação na Argentina

SETCERGS alerta para efeitos financeiros no setor de transporte devido a mudanças de legislação na Argentina

O Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística do Rio Grande do Sul (SETCERGS) manifesta sua posição de alerta em relação às últimas mudanças no sistema de pagamentos de serviços e fretes na Argentina, divulgado pelo Banco Central da República Argentina. A nova medida estabelece que as transferências de pagamentos sejam adiadas por até 90 dias corridos, podendo chegar a 120 dias devido ao processo logístico. Essa alteração tem causado efeitos negativos no fluxo de caixa, capital de giro e saúde financeira das transportadoras, que enfrentam altos custos financeiros e economia de linhas de crédito para lidar com essa nova província argentina.

“Para o SETCERGS, é fundamental compreender que as operações de comércio exterior devem considerar os serviços prestados, como é o caso do transporte internacional de cargas. O setor de transporte é um dos elos depende desse processo, pois as exportações e dependem diretamente desses serviços. É manter a competitividade das exportações brasileiras, incluindo o financiamento dos serviços de transporte internacional de cargas”, afirma a vice-presidente de Transporte Internacional do SETCERGS, Andressa Scapini.

O SETCERGS ressalta a importância de encontrar soluções que garantam a continuidade das operações das transportadoras brasileiras e a manutenção da parceria estratégica entre Brasil e Argentina. A entidade aguarda com a resposta do governo brasileiro após o encontro de alto nível entre as duas Chancelarias, onde o Mecanismo de Coordenação Política foi estabelecido para aprofundar o acerto entre os dois países.